De quem é a obrigação de educar

De quem é a obrigação de educar








 O professor e filósofo Mário Sérgio Cortella conta em um vídeo no Youtube que um pai de aluno perguntou a ele o que a família pode fazer  para ajudar a escola “na educação dos nossos filhos”.

Cortella conta que explicou que há uma inversão na questão: “Não é a família que ajuda a escola na educação dos filhos, é o contrário, é a escola que ajuda a família fazendo escolarização. Os pais têm uma ou duas crianças, e as têm por 24 horas; nós as temos com mais 30 ou 40 durante cerca de quatro horas. Se pais acreditam e supõem a dificuldade de educar, imagine o professor…  imagine se nós, professores, com um conjunto de crianças conseguiremos o que é tarefa da família. A educação dos filhos é da família, a escola faz escolarização, se a família não cumprir sua obrigação, a escola não dará conta”.

Segundo o filósofo, há um problema muito grave, os pais estão sofrendo um período de submissão aos filhos; em nome de um suposto carinho, perguntam o que querem fazer, o que querem comer e aonde querem ir. Quem resolve são os filhos quando é oferecido poder, “algo que as deseduca”.

“Pode parecer pouco, mas uma diferença significativa de formação de um caráter de uma criança ao dizer a ela ‘sente-se!’ ou invés de ‘onde você quer sentar?’. A segunda frase não é carinhosa, é acovardada. Essas crianças estão sendo formadas em famílias que não têm autoridade, elas comem o que querem, dormem à hora que querem, assistem o que querem na televisão… e onde elas vão encontrar um obstáculo a essa falta de limite? Na escola.”

“Quando a criança entra na sala de aula, o professor pergunta: ‘Cadê o material?’, ‘Fez a tarefa?’, ‘Guarde esse celular’, ‘Joga fora esse chicletes’. Sabe o que eles fazem, partem pra cima de nós. Nós nunca tivemos tantos casos de violência de alunos contra professores como estamos tendo atualmente. Por quê? Porque o professor é o primeiro adulto que, no dia a dia, decide exercer sobre ela [a criança] a autoridade que tem de ser exercida”.